Dia do artesão

Todo criador tem seu momento de desapegar das suas criações - no meu caso, as bolsas-carteiras. Se é bom ou ruim? Depende. Sei que elas foram cortadas, combinadas, detalhadas, costuradas, coladas e montadas uma a uma. E cada bolsa-carteira leva uma personalidade e o melhor: o prazer de serem únicas e verdadeiras.

Sim. Até hoje devo ter feito mais ou menos 1.000 carteiras da OH MOÇA. Com ou sem espelhinhos internos, com ou sem correntes, lisas, florais, xadrezes, petit-pois, com botões, flores ou laços. E cada produção tem seu dilema: o cuidado de escolher o par perfeito entre o tecido e o complemento. Algo que exige, mas adoro!

São moças que me dão trabalho, demandam força para carregar o papelão, olhos atentos no diferente, alguns dias de chapadeira pela cola, muito creme para las manos… pero es hermoso! Não basta uma revisão. É uma, duas, três, até colocar a etiqueta que leva meu nome como criadora e os cuidados que as futuras mães deverão ter com suas moças.

Enfim, vê-las em grande quantidade, enfileiradas, afeee, é um orgulho e o começo da grande separação. Todo filho um dia cria asas e voa, então exercitemos o desapego e enfrentemos com alegria a despedida ou o até logo.

Que minhas filhas-moças saiam muito para passear. Que enfeitem e embelezem looks mundo afora. Que um dia possamos nos ver, mesmo que de longe, e novamente me bata um orgulho danado de terem sido criadas por mim com tanto esmero e carinho.

FELIZ DIA DO ARTESÃO!